TV por assinatura cresce na área rural e se mantém estável na área urbana

By
Atualizado: 23 de dezembro de 2016

Entre 2014 e 2015, a proporção de domicílios com televisão por assinatura manteve-se estável (32,1% dos domicílios com TV). O Sudeste continuou apresentando a maior proporção de domicílios com televisão por assinatura, 43,4% (0,2 ponto percentual menor do que 2014), seguida das regiões Sul (32,7%) e Centro-Oeste (30,7%) dos domicílios com aparelho de televisão, respectivamente. Os menores percentuais continuaram nas regiões Norte (19,9%) e Nordeste (16,3%).

Segundo o rendimento mensal domiciliar per capita, a presença de TV por assinatura variou de 9,0%, nos domicílios sem rendimento a 1/4 do salário mínimo, a 77,3% nos domicílios com mais de 5 salários mínimos.

Parabólica está em 51,3% dos domicílios com mais baixos rendimentos

A televisão por antena parabólica estava presente em 37,5% dos domicílios, uma queda de 0,5 ponto percentual, em relação a 2014. Como nos anos anteriores, a presença na área rural (77,0%) foi superior à urbana (31,3%). A menor proporção de domicílios com televisão por antena parabólica, foi na região Sudeste (26,9%), enquanto Nordeste teve a maior (51,3%). Segundo o rendimento mensal domiciliar per capita, a recepção por antena parabólica variou de 51,3%, entre os domicílios sem rendimento a 1/4 do salário mínimo, a 21,6% entre aqueles com mais de 5 salários mínimos.

TV de tela fina, presente em 58,1 milhões de domicílios, supera TV de tubo

Pela primeira vez, o número de televisões de tela fina superou o número de televisões de tubo. Foram estimadas 46,5 milhões televisões de tubo (44,5%) e 58,1 milhões de tela fina (55,5%). A região Nordeste apresentou o maior percentual de domicílios com apenas televisão de tubo (51,1%) e é a única grande região em que ainda mais da metade dos domicílios possuem somente televisão de tubo; a região Centro-Oeste, a maior proporção de domicílios com somente televisão de tela fina (48,5%); e a Sul, a maior proporção de domicílios com ambos os tipos (26,9%). O rendimento médio mensal per capita dos domicílios somente com televisão de tela fina (R$ 1.654) é maior do que dos domicílios com ambos os tipos (R$ 1.485) e somente com tubo (R$ 745).

    SERVIçO DE TV POR ASSINATURA CRESCE EM FORTALEZA

    O serviço de tv por assinatura vem crescendo nos últimos anos. e uma empresa genuinamente cearense lança nova marca e traz novidades para os ...

    CRESCE AS RECLAMAçõES SOBRE AS OPERADORAS DE TV POR ASSINATURA - JORNAL MINAS

    28/09/2012 - a cada dia mais pessoas contratam serviços de tv por assinatura. e as reclamações sobre as operadoras crescem na mesma proporção.

    TV POR ASSINATURA CRESCE E RECLAMAçõES ACOMPANHAM

    Consumidores estão adquirindo pacotes de emissoras fechadas, mas queixas sobem também. Tudo sobre TV por assinatura cresce na área rural e se mantém estável na área urbana

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *